Aguarde...

Benvindos Freguesia de Monsanto - Alcanena

Turismo

Monsanto recebeu foral antigo em Abril de 1174 e foral novo em 1 de Julho de 1510. Em 1353 era aqui fundada, ao mesmo tempo que em Alcanena, uma Confraria de Caridade dedicada ao Divino Espírito Santo que é, aliás, patrono da Igreja paroquial. Pertenceu ao concelho de Torres Novas e, como tal, eram seus donatários os duques de Aveiro. Foi integrada no concelho de Alcanena, aquando da criação deste em 8 de Maio de 1914. São suas actividades o fabrico de cal, curtumes e velas de cera.

Temos uma História e Cultura e Património Natural ímpar que aqui também pode testemunhar; acolhemos anualmente milhares de turistas - estamos na Rota dos Caminhos de Fátima e de Santiago de Compostela, vários percursos pedestres e de BTT identificados com moinhos, fontes e lavadouros, monumentos classificados, ribeiros e Rio Alviela, muros de pedra e felgar como pano de fundo; Somos a Capital Nacional do Tordo e um dos locais da Sociedade Portuguesa de Espeleologia.

A Igreja paroquial é um templo barroco, imponente e equilibrado, de 1708, com torre sineira de 1743. Na fachada principal, dois nichos que abrigam as imagens de pedra de S. João Evangelista e de Nossa Senhora da Conceição, e portal decorado. No interior, revestimento azulejar seiscentista, altar-mor e laterais de talha polícroma setecentista, imagem de pedra do Espírito Santo, seiscentista, pintada e estofada. Das alfaias litúrgicas são de realçar um paramento rico, estilo Luís XIV, a coroa do Espírito Santo, de prata dourada do século XVIII e o relicário de prata dourada (D. João V).

 

LOCAIS A VISITAR

• Igreja Paroquial de Monsanto: A Igreja de Monsanto é considerada como a mais bela da região. De estilo Barroco, datada do ano de 1708. No frontão são visíveis dois nichos, onde se veem as imagens de S. João Batista e de N. Srª da Conceição, em pedra, quase do tamanho real. Em baixo relevo, o Espírito Santo, também em pedra, do século XVIII. No seu interior, destacam-se dois altares em talha setecentista com as imagens da Santíssima Trindade e de Santo António. Entre as alfaias que a Igreja possui destacam-se: um paramento do século XVII; coroa do Espírito Santo de porta doirada, do século XVII; relicário de prata doirada (D. João V) com a cruz do Santo Lenho.

 

• Torre do Relógio: Mandada construir pelo Sr. José Maurício Calado, que posteriormente a doou à freguesia; O Sr. José Maurício Calado era um homem muito rico, que tinha muitas pessoas ao seu serviço. Mandou construir esta torre com um relógio (daí o nome Torre do Relógio), para que os seus empregados soubessem sempre as horas de modo a evitar atrasos, na hora de começar a trabalhar. Suba até ao topo da alta Torre do Relógio em e deslumbre-se com uma fantástica vista panorâmica da freguesia e concelho.

 

• Fonte do Pião: Um dos símbolos da freguesia, construída em 1884, correndo de forma regular anualmente e com grande caudal. Encontra-se envolvida em azulejo, que retrata a vida rural; Sabe-se que esta fonte não era usada apenas para abastecer água era também um local onde alguns namorados marcavam os seus encontros. Na altura da espiga (quinta feira da Ascensão) também se faziam jogos e bailes junto a esta fonte sendo ainda palco dos tradicionais festejos associados ao dia da Espiga (Quinta-Feira da Ascensão); Temos também a Fonte d’Além, de grande beleza.

 

• Lagoa dos Casais da Moreta: Local recentemente requalificado, com parque de merendas e espaço de lazer, situado perto de locais de relevo como o moinho requalificado, campo de tiro, ponto de água e heliporto da freguesia. 

 

• Capela nossa senhora dos Remédios: Covão do Feto: Pequena capela na povoação de que remonta aos séculos XVII/XVIII, não havendo grande definição quanto à data da sua edificação. Frente à capela de Nossa Senhora dos Remédios, em Covão do Feto, um Cruzeiro de 1720.

 

• Ponte da Pedra: situa-se na Quinta de Alviela, um solar do séc. XVIII, propriedade dos morgados de Alviela. É um lugar recatado, frequentado por pescadores e no verão por pessoas que procuram um lugar mais privado para descansar e tomar um banho. Aconselhamos visitar toda a zona dos Olhos d'Água do Alviela - Complexo das Nascentes do Alviela, Praia Fluvial, Carsoscópio (Centro Ciência Viva), local de grande beleza e adjacente à freguesia de monsanto, sendo possível ir de Monsanto para este complexo via Pedestre, BTT, JIPE. 

 

• Moinhos de Vento: Os moinhos eram de extrema importância para esta zona, pois neles moía-se o trigo e o milho, para se fazer a farinha com a qual se fazia o pão. Como era uma zona muito ventosa, facilmente as velas do moinho mexiam, faziam rodar as mós no interior do moinho e moíam os grãos de trigo ou de milho. Atualmente são todos privados estando alguns ao abandono.

 

• Lavadouros; O lavadouro era o ponto de encontro do lugar, o local onde habitualmente as mulheres iam lavar a roupa antes de haver água canalizada e máquinas. Dado o tempo que cada uma demorava a cumprir a sua tarefa, esse mesmo tempo era passado em amena conversa, "lavagem de roupa" e troca de conhecimentos e informações. Na freguesia, temos lavadouros como o do Peão (e anfiteatro), lavadouro da Mata, do guard´além, dos Casais da Moreta.

 

• Casa da Cultura de Monsanto (Antiga Casa do Povo): As casas do povo foram criadas pelo Decreto-Lei n.º 23 051 de 23 de setembro de 1933, destinando-se a colaborar no desenvolvimento económico-social e cultural das comunidades locais, bem como a assegurar a representação profissional e a defesa dos legítimos interesses dos trabalhadores agrícolas. As casas do povo assumiram, também, a função de realizar a previdência social de todos os residentes na sua área de atuação. Após requalificação tornou-se na Casa da Cultura sendo um local ideal para eventos culturais/lazer/recreativos.

 

• Largo Alferes Francisco Duarte "O Arbirú" (Monsanto): Principal Largo da Freguesia, existindo vários pontos de interesse como o Painel de Homenagem ao Povo de Monsanto, ilustrativo da história e costumes desta freguesia, vários locais de convívio, Busto ilustrativo do Sr. José Maurício Calado, painel de azulejos de homenagem à Mãe. O Alferes Francisco Duarte nasceu em Monsanto a 08.12.1862 e faleceu a 12.07.1899/Bobonaro – Timor;era «conhecido em Timor pelo cognome de “Arbiru”»  – palavra de tétum que significa «homem invencível, homem que nunca descansa». Francisco Duarte  estava em Timor (hoje, Timor Lorosae) desde 1892 e foi um  dirigente militar do distrito cafeicultor de Maubara. Distinguiu-se sobretudo nas campanhas militares que decorreram entre 1893 e 1896, nomeadamente em Lamaquitos, Obulo, Maerobo, Manufai e Deribate, ganhando fama de violento pacificador das revoltas timorenses. Este militar galardoado com a Ordem da Torre e Espada faleceu em combate e foi sepultado no cemitério de Santa Cruz em Díli. Deu igualmente o seu nome a um Largo em Lisboa, conforme refere a Ata da reunião da Comissão Municipal de Toponímia de 3 de novembro de 1961.

 

• Felgar (Covão do Feto): Local talhado e desenhado pelo seu cultivo e divisórias territoriais. Percorrendo parte do seu perímetro, segue-se mais um trilho de elevada beleza entre muros de pedra que nos levará a vários locais de beleza.

 

EVENTOS ANUAIS

• Festival Gastronómico do Tordo (1ª Quinzena de Março) - Monsanto

Festival que visa promover o turismo e a gastronomia de caça, sendo o ator principal; o “Tordo” é uma espécie de caça controlada e autorizada bastante abundante na região do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros; Desde Janeiro de 2019, a freguesia detém a marca nacional:  “Freguesia de Monsanto – Capital do Tordo”, com a publicação da marca (nº 602.296) no Boletim da Propriedade Industrial. 

VIDEO FESTIVAL GASTRONÓMICO DO TORDO

 

• Quinta-Feira da Ascensão/Dia da Espiga – Monsanto; Evento anual provalmente de realização mais antiga e de forma ininterrupta na freguesia, na fonte do Pião em Monsanto, que visa festejar o dia da espiga e quinta-feira da ascensão (feriado municipal). Anualmente é oferecida uma sardinhada à população, assim como o tradicional jogo de futebol Solteiros vs Casados.

 

• Festas em Honra do Divino Espírito Santo – Monsanto – Monsanto; Realizam-se por norma no último fim-de-semana do mês de Julho, sendo um evento de celebração religiosa, animação e reencontro com migrantes/emigrantes da freguesia. 

 

• Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios – Covão do Feto: Realizam-se por norma no 2º fim-de-semana de Setembro, sendo um evento de celebração religiosa, animação e reencontro com migrantes/emigrantes da freguesia. 

 

ARTESANATO E GASTRONOMIA

• Vassouras e piaçabas em palmas; Velas artesanais; Artigos em Pele; Artigos em Pedra.

• Licores artesanais (entre eles o licor dos casamentos de Monsanto); Aguardentes de Figo e Medronho.

• Bolos de noiva, Broas dos Santos, Cuscorões; Mel, Azeite.

• Queijo de Cabra; Cachola, Morcela e Caracóis (vários pratos destacando-se a Feijoada de Caracóis -especialidade no restaurante "O Caracol - Covão do Feto"); Pratos de Javali e de Tordo.

• Restaurantes: O Mal Cozinhado (Monsanto) | O Caracol - (Covão do Feto).

CIRCUITOS PEDESTRES

 

• Rota olhos de água do alviela

• Rota dos moinhos

• Rota dos arrifes

• Entre o Aqueduto e o Alviela

 

CIRCUITOS BTT

 

• Circuito nº1

• Circuito nº2

• Circuito nº3

• Circuito nº4

Este site utiliza cookies. Ao utlizar o website, confirma que aceita a nossa politica de privacidade.